Marvão

A nossa terra, Marvão, fica apenas a duas horas de Lisboa, em pleno nordeste alentejano, inserido no Parque Natural de são Mamede.

Marvão

A nossa terra, Marvão, fica apenas a duas horas de Lisboa, em pleno nordeste alentejano, inserido no Parque Natural de são Mamede.

Marvão

Aqui, tudo se conjuga de uma forma natural para tornar os nossos dias perfeitos. e nesta região o património natural é, por si só, motivo de visita, toda ela acaba por ser uma terra de encantos, e garantimos que são poucos os que conseguem resistir à sua magia. Desde o sorriso com que nos recebem quando chegamos, ao cheiro aromático da alfazema silvestre no Verão, à história que se sente por onde se passa, à água fresca das suas nascentes e ribeiros, à comida típica, às inúmeras tradições ou à paz da sua paisagem nocturna no Verão, quando até as cigarras se calam e as estrelas brilham no céu, com todo o seu esplendor. A paisagem verde vibrante que se anuncia na Primavera, vai-se transformando subtilmente em cores quentes e acolhedoras, até receber a chegada do Outono.

“Esta é uma terra ancestral cheia de história, tradições e bem preservada, que vale a pena descobrir..”

Cá, vêem-se e sentem-se as estações do ano a passar, cada uma com as suas diferenças, cores e cheiros característicos, costumes e hábitos tão distintos. Há a época do vinho novo e das castanhas, no Outono, das festas e romarias, das cerejas rosadinhas, no Verão, do bagaço para aproveitar o excedente da colheita da fruta, da natureza a explodir de um verde vistoso na Primavera, ou mesmo da neve que, por vezes, nos visita, em dias frios de Inverno.

É uma região montanhosa, o que a torna completamente diferente das planícies calmas e paradas de um Alentejo mais conhecido. Por cá, há o costume de se dizer que da Vila de Marvão se consegue ver as aves pelas costas. A verdade é que, a 850 metros de altitude, a vista do castelo se torna, de facto, deslumbrante. Dona de uma natureza quase em estado bruto, a beleza natural desta paisagem faz-se notar ainda mais pelas formações rochosas que, quando se vêem nos campos, fazem lembrar brincadeiras de um deus, que por ali terá passado e, enquanto seguia o seu caminho, se foi divertindo, ora esculpindo bolas grandes de pedra que ia deixando ficar nos campos, como se de berlindes se tratassem, ou passando as mãos despenteando as montanhas, dando-lhes um ar bastante jurássico.

Aqui, até a presença do homem contribuiu para tornar este local ainda mais bonito. Exemplo disso, são os muros milenares erguidos principalmente desde a chegada dos romanos, as antas, as necrópoles, as barragens, os moinhos de água, as estradas e os caminhos medievais, a cidade romana, o castelo de Marvão…

O concelho de Marvão é composto pelas freguesias da Beirã, de Santa Maria de Marvão, de Santo António das Areias, de Ponte Velha e de São Salvador da Aramenha.